Bolsonaro gostaria, mas Barros diz que não deixa liderança do governo na Câmara; “Eu sei me defender”, diz ele, que não abre mão do cargo

Em reunião com líderes do governo, Ricardo Barros, que ocupa a posição na Câmara, aproveitou para se defender no escândalo da Covaxin.

“Eu sei me defender. Não vou sair da liderança”, disse ele ontem (28).

Barros, que foi ministro da Saúde durante a gestão Temer, disse que “entende do assunto” e negou que vai recuar, como esperavam aliados.

Ele também negou estar por trás das pressões sofridas pelo servidor técnico Luis Ricardo Miranda para importação da Covaxin.

O deputado está negociando com o presidente da CPI da Covid, Omar Aziz, a data de sua oitiva na comissão.