Bolsonaro espalha fake news sobre ação das Forças Armadas da Argentina na pandemia e Fernández responde: “É impactante que ele diga uma coisa assim”

O presidente da Argentina, Alberto Fernández, respondeu, na manhã desta 5ª feira (15.abr.2021), a crítica feita pelo presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, sobre as novas medidas para conter o avanço da pandemia do coronavírus no país.

Mais cedo, o brasileiro publicou em suas redes sociais a manchete de uma notícia publicada pelo site argentino Infobae sobre uma suposta utilização do Exército para controle e fiscalização de um toque de recolher, que, segundo Bolsonaro, seria das 20h às 8h.© Fornecido por Poder360

Receba a newsletter do Poder360todos os dias no seu e-mail

As duas informações veiculadas pelo presidente, no entanto, são falsas. A Polícia Federal argentina será responsável por atuar na fiscalização das medidas, não o Exército. O outro erro é o horário do toque de recolher, que será das 20h às 6h.

Em entrevista à emissora argentina Rádio10, Fernández disse que é “impactante que Bolsonaro diga uma coisa assim”.Publicidadex

“O Exército tem médicos e enfermeiros muito qualificados, e foi isto que pedi. Eu não declarei estado de sítio nem penso em fazer e as Forças Armadas não fazem segurança interna, estão aí para fazer o que fazem muito bem que é, em situações de catástrofe, dar apoio às pessoas”, afirmou.

“São oficiais que fizeram a carreira na democracia, defendem as instituições e a partir deste espaço têm colaborado de modo magnífico na pandemia, levando assistência a locais de maior vulnerabilidade”, declarou o mandatário argentino.

Em pronunciamento na rede nacional de televisão, na noite de 5ª feira (14.abr), Fernández anunciou que as forças de segurança estariam nas ruas para vigiar as medidas, fazendo referência à Polícia Federal.

O ministro da Defesa, Agustín Rossi, afirmou em sua conta no Twitter, depois do anúncio, que o Exército teria apenas “a mesma função que teve na crise do ano passado, a de dar assistência sanitária, distribuir comida e ajudar em organização de testes e vacinação”. Ele desmentiu a notícia publicada pelo Infobae, citada por Bolsonaro.© Fornecido por Poder360

BOLSONARO: EXÉRCITO DEVE “GARANTIR A LIBERDADE”

Bolsonaro disse, nesta 5ª feira (15.abr), que as Forças Armadas têm o papel de garantir “paz para governar” o Brasil. Ele usou a expressão duas vezes durante solenidade de posse do general Tomaz Miguel Miné Ribeiro Paiva na chefia do Comando Militar do Sudeste, em São Paulo (SP).

“A certeza que temos de sempre contar com a sua Marinha, com seu Exército e com sua Aeronáutica nos traz a paz para governar”, afirmou o presidente.

Em outro trecho do discurso, declarou: “Agradeço ao trabalho prestado por vossas excelências [militares] e cumprimento o novo comandante sabendo que estará ombreado com o destino maior de nossa nação, a nossa tranquilidade e a nossa paz para governar”

O presidente declarou ainda que as Forças Armadas “estarão sempre dentro das 4 linhas da Constituição”.

“A nossa nação tem uma vocação: liberdade acima de tudo. E [tem] a certeza desse povo maravilhoso, de mais de 210 milhões de pessoas, que as suas Forças Armadas estarão sempre dentro das 4 linhas da Constituição e não medirão esforços para garantir o oxigênio da vida, que é a nossa liberdade”, disse.