Bolsonaro diz que defende pedofilia e legalidade para drogas; e avisa que ‘meu Exército’ vai cumprir a Constituição em “todos os seus artigos e incisos”

O presidente Jair Bolsonaro disse neste sábado (10.jul.2021), sem apresentar qualquer evidência, que o ministro Luís Roberto Barroso, do STF (Supremo Tribunal Federal) defende a pedofilia e não deveria estar na Corte. Afirmou que o lugar dele é no Congresso, onde pode defender as suas opiniões.

Poder360 procurou o ministro Roberto Barroso, mas ainda não obteve resposta, que será incluída neste texto. As declarações de Bolsonaro foram feitas em Porto Alegre, no Rio Grande do Sul. O presidente participou de “motociata” com apoiadores.

Receba a newsletter do Poder360todos os dias no seu e-mail

Ministro esse que defende a redução da maioridade para estupro de vulnerável, ou seja, a pedofilia é o que ele defende. Ministro que defende a legalidade das drogas. Com essas bandeiras todas, ele não devia estar no Supremo. Devia estar no Parlamento. Lá é o local de cada um defender a sua bandeira“, afirmou o presidente.

Bolsonaro disse que o valor mais alto da nação é a liberdade, e que não vão passar por cima da democracia. “Hoje vocês têm um presidente que acredita em Deus, respeita os seus militares, respeita a família e deve lealdade ao seu povo. Deus, pátria e família“, afirmou. “O meu exército, que são vocês, tudo fará para que a nossa Constituição com todos os seus artigos e incisos sejam cumpridos“, completou.

No discurso, Bolsonaro declarou ainda que o Barroso quer “a roubalheira e a falta da impunidade através da fraude eleitoral“.

Assista no vídeo abaixo. O presidente inicia o discurso aos (29min14s):https://www.facebook.com/plugins/post.php?app_id=132970837947&channel=https%3A%2F%2Fstaticxx.facebook.com%2Fx%2Fconnect%2Fxd_arbiter%2F%3Fversion%3D46%23cb%3Df8211af7187d2%26domain%3Dwww.msn.com%26origin%3Dhttps%253A%252F%252Fwww.msn.com%252Fff61d65c308864%26relation%3Dparent.parent&container_width=800&href=https%3A%2F%2Fwww.facebook.com%2Fjairmessias.bolsonaro%2Fvideos%2F845654529694813%2F&locale=pt_BR&sdk=joey&width=500

LULA X BOLSONARO

O presidente criticou a pesquisa DataFolha, que mostrou o petista com 58% das intenções de voto no 2º turno das Eleições presidenciais de 2022. O levantamento confirma o PoderData, que mostra a vantagem de Lula para Bolsonaro.

Se aquele de 9 dedos tem 60%, segundo o DataFolha, vamos fazer o voto impresso e auditável para ver se ele ganha no 1º turno”, afirmou.

CORRUPÇÃO

Bolsonaro criticou a mídia e congressistas que tentam imputar a ele o crime de corrupção nos contratos para a compra da vacina Covaxin. Disse que não gastou 1 centavo com o imunizante e que seu governo não tem um caso de corrupção em 2 anos e meio.

Um real sequer foi pago, porque temos filtro. Temos controle. Além dos nossos filtros, tem a CGU [Controladoria-Geral da União] e o TCU (Tribunal de Contas da União). Se acontecer um dia em algum ministério, estatal ou banco oficial, nós seremos os primeiros a tomar iniciativa no tocante a isso“, disse.

Citou que houve, nos governos anteriores, roubo na Caixa, Correios, Petrobras e BNDES. “O nosso governo não permitirá esse retrocesso“, afirmou.

OTTO ALENCAR

O presidente também mandou um recado para o senador Otto Alencar (PSD-BA), que disse estar com covid-19. “Vou ficar marcando ele. Quero ver se ele vai ficar em casa e sentir falta de ar para procurar um médico e tomar cloroquina e hidróxicloroquina”, afirmou.

Sem citar a fonte, disse que “estudos internacionais avançados” indicam que 60% das mortes no mundo poderiam ter sido evitadas com o tratamento precoce contra a covid-19.

PANDEMIA

Bolsonaro voltou a dizer que não fechou o comércio ou implementou o lockdown. Disse que a pandemia de covid-19, “se Deus quiser”, está chegando ao fim.

Sempre disse que problemas teremos e devemos enfrentá-lo. Não é ficar de baixo da cama ou dentro de casa que nós resolvemos nossos problemas. A pandemia ataca, sim, e mata. Reconhecemos. Agora, devemos preservar os mais idosos e os que têm comorbidades, e não generalizar o seu procedimento. Porque a fome, a miséria e o desemprego também leva a morte”, afirmou.

O presidente disse que não se omitirá para os temas da nação. “Pior do que uma decisão não tomada, é uma indecisão“, disse.