Bolsonaro desvia foco da Previdência, propõe retrocesso em Código de Trânsito e mostra outra vez que não sabe escalar prioridades

BR: O presidente Jair Bolsonaro mostrou nesta terça-feira 4, mais uma vez, que o foco político não é mesmo o seu forte. Com as negociações em torno da reforma da Previdência em seu clímax, envolvendo governadores de estado, todas as forças políticas e a equipe econômica, Bolsonaro achou como grande jogada apresentar pessoalmente ao Congresso alterações profundas no Código Nacional de Trânsito. Ele preferiu fazer cena no gabinete do presidente Rodrigo Maia, anunciando intenções como barrar a realização de exames toxicológicos em caminhoneiros, do que participar de um seminário parlamentar, também no ambiente do Congresso, no qual os principais decisores da reforma da Comissão Especial da Previdência estavam presentes.

A iniciativa de abrir mais uma frente de atrito político, com a proposta do novo CNT, além de não dar um voto a mais a favor da PEC da Previdência, ainda despertou uma forte crítica do presidente da Comissão, deputado Marcelo Ramos (PL-AM):

“Depois reclamam quando digo que o presidente Bolsonaro não tem noção de prioridade e do que é importante pro país”, escreveu Ramos em sua conta no Twitter. “Enquanto estamos num seminário sobre reforma da Previdência ele está vindo pra Câmara apresentar PL que trata de aumentar pontos na carteira de maus motoristas.”

Bolsonaro podia dormir sem essa, mas nada indica que ele não sofra novas invertidas em razão de sua falta de prioridades.