Bolsonaro declara guerra à banana importada do Equador; medida protecionista beneficiará sobrinho no Vale do Ribeira

O presidente Jair Bolsonaro resolveu lançar uma guerra contra as bananas. Durante transmissão ao vivo em uma rede social, ontem, ele prometeu “acabar com o fantasma” da importação da fruta. Produto menor na balança comercial brasileira, cuja importação somou apenas US$ 78,7 mil nos dois primeiros meses do ano, uma possível restrição à banana equatoriana é mais um sinal protecionista de Bolsonaro, o que contraria a visão liberal do ministro Paulo Guedes.

A medida, se adotada, poderá beneficiar um dos sobrinhos do presidente, que é produtor rural na região do Vale do Ribeira. Outro que pode ser beneficiado é Valmir Beber, aliado político dos  Bolsonaro no Vale e ex-presidente da Associação dos Bananicultores da região.