Bolsonaro assume que vetou Maduro em conferência sobre Amazônia e ataca Evo Morales: “No país dele ocorreu uma das maiores queimadas”

Durante a cerimônia de assinatura de Medida Provisória que lançou a carteira de estudante digital e gratuita na tarde desta sexta-feira (6/9) no Palácio do Planalto, o presidente Jair Bolsonaro, que até então mantinha uma excelente relação com o mandatário do país vizinho, criticou o presidente da Bolívia, Evo Morales, e disse que é lá onde ocorrem as maiores queimadas florestais.

“Agora há pouco, na videoconferência de Letícia, vi que tinha um ali, sem citar nome, que não estava muito a favor das propostas costurada pelos demais. Ele disse que o capitalismo está destruindo a Amazônia, como se no país dele não tivesse ocorrido uma das maiores queimadas”.

E continua: “Esse presidente saudando o socialismo dizendo que faltava um presidente ali (Maduro), que eu vetei. Um presidente que estava maduro demais, por isso que eu vetei”.

Por videoconferência, o presidente Jair Bolsonaro participou nesta sexta-feira (6/9) da reunião entre chefes de estado dos países amazônicos, que ocorreu na cidade de Letícia, na Colômbia. O presidente não compareceu pessoalmente ao encontro por orientação médica. Ele será submetido a uma nova cirurgia no próximo domingo (8), para correção de hérnia incisional.

Segundo a assessoria da Presidência da República, participam da conversa os presidentes da Colômbia, Peru, Equador e Bolívia. A Guiana e o Suriname enviaram os respectivos vice-presidentes como representantes.