Bolsonaro associa tentativa de golpe de Trump à desconfiança no voto; “Lá, pelo Correio, votaram 3, 4 vezes, ninguém pode negar isso”, atacou; agregou que Brasil pode viver o mesmo caos se não houver voto impresso

O presidente Jair Bolsonaro disse nesta 5ª feira (7.jan.2021) que, caso o Brasil não adote um sistema de voto impresso nas eleições presidenciais de 2022, a situação poderá ser semelhante à que aconteceu nos Estados Unidos nessa 4ª feira (6.jan), quando manifestantes contrários à vitória do democrata Joe Biden invadiram o Congresso norte-americano.Presidente Jair Bolsonaro em cerimônia de exposição dos trajes usados na posse presidencial de 2019, no térreo do Palácio do Planalto© Sérgio Lima/Poder360 Presidente Jair Bolsonaro em cerimônia de exposição dos trajes usados na posse presidencial de 2019, no térreo do Palácio do Planalto

Aqui no Brasil, se tivermos o voto eletrônico em 22, vai ser a mesma coisa. A fraude existe, a imprensa vai falar ‘sem provas’, mas a fraude existe“, disse o presidente Bolsonaro a apoiadores em frente ao Palácio da Alvorada.

Bolsonaro afirmou que houve “falta de confiança no voto” no pleito dos EUA, o que, segundo ele, motivou os atos de vandalismo no capitólio.

Basicamente qual foi o problema? A causa dessa crise toda: falta de confiança no voto. Então lá, o pessoal votou e potencializaram o voto pelos correios por causa da pandemia, e houve gente lá que votou 3, 4 vezes. Foi uma festa lá, ninguém pode negar isso aí. Então a falta dessa confiança levou a esse problema que está acontecendo lá“, declarou.

Pelo menos 4 pessoas morreram durante a invasão ao Capitólio dos Estados Unidos nessa 4ª feira. Manifestantes pró-Trump invadiram a sede do Congresso e interromperam a sessão que certificaria a vitória de Joe Biden nas eleições.

Uma mulher morreu baleada. Outras 3 pessoas morreram por “urgências médicas”, segundo informou o chefe da Polícia Metropolitana de Washington, Robert Contee. Ao menos 14 policiais ficaram feridos. Dois estão em estado grave.

Nesta 5ª feira, 1 dia depois do ocorrido, Bolsonaro disse que a situação do Brasil poderá ser ainda mais grave que a dos EUA em 2022. “Se não tivermos o voto em 22, uma maneira de auditar o voto, nós vamos ter problemas piores que no Estados Unidos”, afirmou.