Bolsonaro abre estratégia de Brasil e EUA contra Venezuela; “Criar fissuras no Exército para tirar apoio a Maduro”; em caso de invasão, afiança: “Decisão será minha”

O presidente Jair Bolsonaro disse nesta segunda-feira o que, se houver uma intervenção militar na Venezuela liderada pelos Estados Unidos, vai consultar o Conselho de Defesa Nacional e o Congresso para decidir como o Brasil vai proceder.

“Vamos supor que haja uma invasão lá [na Venezuela]. A decisão vai ser minha, mas eu vou ouvir o Conselho de Defesa Nacional, e depois o Parlamento brasileiro, para tomar a decisão de fato”.

Em entrevista à rádio Jovem Pan, Bolsonaro fez a ressalva de que uma ação militar na Venezuela pode levar a ações de guerrilha e levar tempo demais.

Ele disse que a atuação no momento do Brasil e dos Estados visa “criar fissuras no Exército venezuelano” para tirar o apoio dado pelos militares do país ao presidente Nicolás Maduro.

“O que são todas as possibilidades? Todas as possibilidades, ponto final”, disse. rgum