Bagunça no Ministério da Economia só aumenta; Guedes bate-boca com Bolsonaro; “Criança birrenta”, disse presidente; “Desse jeito, melhor eu sair do governo”, respondeu ministro; será que agora vai mesmo?

Bolsonaro pediu reajuste salarial para servidores de algumas categorias, como da Polícia Federal. O presidente, do seu jeito grosseiro, ordenou que Guedes e a equipe econômica viabilizassem seu desejo. Porém, o ministro da Economia se irritou e avisou que não teria como atender o pedido do governante.

Conforme apurou o DCM, o chefe do poder executivo não gostou do tom usado por Paulo. “Ele reclamou que todos os pedidos que fazia, o Guedes demonstrava incomodo e irritação. Bolsonaro chegou a dizer que o ministro parece criança birrenta”, disse um aliado do Planalto.

O chefe da pasta econômica explicou que não estava prevista na PEC dos Precatórios reajuste salarial de servidor. “Teríamos que fazer mais ajustes e ficaria insustentável o orçamento. Nós não informamos isso ao Congresso e pode gerar uma crise ainda maior”, declarou uma pessoa que faz parte da equipe de Guedes.

Bolsonaro acionou Arthur Lira

Assim como das outras vezes, Bolsonaro procurou a equipe política. Quando recebe não do grupo econômico, busca garantias dos Centrão. É uma forma de se blindar na hora de tomar decisões. Para sua surpresa, o presidente da Câmara ficou ao lado de Paulo Guedes, mesmo não gostando do ministro.PUBLICIDADE

“O Lira avisou que não dava. A PEC foi aprovada com outros termos. Que o pedido de Bolsonaro era mudar as regras do jogo nos acréscimos do segundo tempo”, informou um aliado do presidente da Câmara.https://ba6347797345410dfb0b4b508a55cc90.safeframe.googlesyndication.com/safeframe/1-0-38/html/container.html

Só que Bolsonaro insistiu e foi aí que Guedes deu o ultimato: “‘Se for para fazer as coisas contra minha vontade toda vez, melhor eu sair do governo’. O ministro falou isso na reunião”, contou a fonte do DCM. Foi aí que o chefe do executivo federal diminuiu o tom da conversa e aceitou os argumentos do seu subordinado. Pelo menos neste primeiro momento.