Auxílio Brasil eleitoral em ação; pais solteiros que criam os filhos terão direito a R$ 600/mês retroativos

O governo vai pagar uma cota retroativa do Auxílio Emergencial para pais solteiros ou chefes de família que criam sozinhos os filhos. O pagamento será feito em cinco parcelas de R$ 600, mesmo valor pago entre abril e agosto de 2020.

Segundo o Ministério da Cidadania, os repasses devem ocorrer no início deste, porém o calendário ainda não foi divulgado.

Auxílio Brasil: quem foi excluído do Bolsa Família pode receber o benefício?

Auxílio Brasil: Com fila zerada, como verificar se você receberá os R$ 400

Podem receber o dinheiro pais solteiros, sem cônjuge ou companheira(o) que foram beneficiários do Auxílio Emergencial pago entre abril e agosto de 2020. A família precisa ser composta por pelo menos uma pessoa menor de 18 anos de idade.

O presidente Jair Bolsonaro (PL) vetou, em 2020, um projeto de lei que incluía homens solteiros chefes de família no Auxílio Emergencial – mães solo receberam o valor de R$ 1.200. Contudo, o Congresso revisou o veto e, no último 24 de dezembro, o governo publicou a Medida Provisória (MP) 1.084, que destina R$ 4,1 bilhões à ampliação do benefício.

Assim, o objetivo é equiparar o valor recebido pelas mães monoparentais no período, que totalizou R$ 6 mil. O Ministério da Cidadania estima beneficiar 1,28 milhão de famílias chefiadas por homens solteiros.