Atila Iamarino: ‘Períodos de reclusão e nas ruas podem se alterar por mais dois anos’

Em entrevista ping-pong à Folha, o biólogo Atila Iamarino, 36, afirma que será preciso repensar a maneira como a sociedade vai funcionar nos próximos dois anos, provavelmente alternando períodos de abertura e novas quarentenas.

Acompanhe:

“É preciso ter em mente que, até a gente contar com uma vacina 100% segura, ou tão segura quanto possível, vai ser preciso esperar alguns anos. Então, no mínimo por um ano, mas mais provavelmente por dois anos, a gente vai ter de alternar períodos de reclusão com períodos nas ruas, construindo o máximo possível de infraestrutura, criando um funil largo, digamos, que permita que a gente abra a torneira. Coisas como evitar o contato físico com as pessoas, evitar multidões e um uso mais comum das máscaras de proteção vão continuar sendo necessárias”.

“Como vai ser isso – se a gente trabalha fora de casa por três dias e fecha outros quatro, se passa 20 dias fechados e três meses abertos –, muitas pessoas estão discutindo agora. É um território novo. Vamos passar um bom tempo com esse vírus no nosso cangote e, quando houver uma abertura, as coisas não vão voltar ao que eram. As pessoas vão sair diferentes disso”.