Até Bolsonaro diz que Moro não pode decidir sobre destruição de provas em hackeamentos

O pre

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) enquadrou o ministro da Justiça Sergio Moro neste sábado (27), no Rio de Janeiro, ao dizer que não cabe ao ex-juiz a decisão sobre destruir ou não as mensagens capturadas pelos supostos hackers presos nesta semana, informa a Folha de S. Paulo.

“A decisão de possível destruição não é dele. Cada um de nós pode pensar e até torcer por alguma coisa. O Moro não fala nada que a lei não permita fazer”, disse Bolsonaro.

Segundo a reportagem, “a avaliação de ministros da corte e de parlamentares da cúpula da Câmara e do Senado é a de que Moro extrapolou os limites de sua competência como ministro de Estado ao indicar que teve acesso a dados de uma investigação sigilosa da Polícia Federal. Em conversas reservadas, políticos e magistrados dizem que a permanência do ministro no governo de Jair Bolsonaro ficou insustentável e defendem que ele se afaste do cargo até a conclusão das investigações”.

O ministro do STF Marco Aurélio Mello havia sido o primeiro a se manifestar, afirmando que apenas o Judiciário tem esse poder.