Aras renova alinhamento a Bolsonaro e apoia ação no STF contra quarentena: “Não há juízo seguro sobre acerto do isolamento social”

O procurador-geral da República, Augusto Aras, afirmou que Jair Bolsonaro tem o direito de decidir sobre o “momento oportuno” para maior ou menor isolamento social. Em parecer, o chefe da PGR disse que, como o mundo passa por uma “crise sem precedentes”, repleta de “incertezas”, ainda não é possível avaliar bem se a estratégia de limitar a circulação de pessoas tem eficácia para impedir a propagação do coronavírus. Atualmente o Brasil tem 22,3 mil casos de coronavírus e 1.230 mortes provocadas pela doença.

“As incertezas que cercam o enfrentamento, por todos os países, da epidemia de covid-19 não permitem um juízo seguro quanto ao acerto ou desacerto de maior ou menor medida de isolamento social, certo que dependem de diversos cenários não só faticamente instáveis, mas geograficamente distintos, tendo em conta a dimensão continental do Brasil”, escreveu Aras. O relato foi publicado no jornal O Estado de S.Paulo.