Aras pede a STF investigação sobre atos pró-regime militar; Bolsonaro não envolvido inquérito; chefe da AGU acorda, mas protege presidente

O procurador-geral da República, Augusto Aras, solicitou ao Supremo Tribunal Federal (STF) a abertura de um inquérito para investigar supostos crimes cometidos contra a democracia brasileira em manifestação ocorrida na tarde de domingo, 19. O ato, que ocorreu na frente do quartel-general do Exército, em Brasília, contou com a participação do presidente da República, Jair Bolsonaro, que chegou a discursar em cima de uma caminhonete.

Aras afirma que deve ser apurada, inclusive, a participação de deputados federais na organização do protesto, o que justifica o pedido feito ao STF.

“O Estado brasileiro admite única ideologia que é a do regime da democracia participativa. Qualquer atentado à democracia afronta a Constituição e a Lei de Segurança Nacional”, afirmou o procurador-geral, Augusto Aras.