Após surto de Covid na Venezuela, Tite detona Copa América no Brasil: “Estamos expostos, ficamos à mercê”

Em entrevista coletiva concedida neste sábado (12) – véspera da estreia da Seleção Brasileira na polêmica Copa América -, Tite tornou a criticar fortemente a organização do torneio, reforçando que jogadores e comissão técnica se manifestaram contrários à ideia do país sediar a competição antes mesmo da decisão final ser tomada.

“Pedimos antes ao presidente da CBF. Eu pedi, os atletas pediram, o Juninho pediu antes de ela ser definida que ela fosse no Brasil. Antes, nós pedimos antes. Nós fomos leais e pedimos antes. Antes de levar ao presidente da República, ao país, colocamos essa situação que não gostaríamos, pelo respeito, por tudo o que estava envolvendo, por um lado sentimental. Ficamos à mercê, pediram tempo para nós, aí a situação ficou definida e ficamos expostos. Esse é o real, o que acompanhei em relação a essa situação toda. Então decidimos nos manifestar de forma conjunta”, afirmou.

Como destaca o globoesporte.com, o treinador ainda lamentou a situação que atinge a adversária do Brasil na estreia da Copa América: a Venezuela, que divulgou comunicado oficial neste sábado (12) revelando ter 12 casos positivos para Covid-19 em sua delegação que disputará o torneio em solo brasileiro.

“Quando um campeonato é feito de forma atabalhoada, excessivamente rápida como a Conmebol fez, ela está sujeita a isso. E vai mudar de novo. Vai modificar de novo. Independentemente do país que fosse (…) Gostaria que não tivesse esses problemas todos, não só com a Venezuela. Isso aqui não tem viés político nenhum, isso aqui tem uma crítica direta à Conmebol e a quem decidiu da CBF ser a Copa América aqui”, concluiu.

Brasil e Venezuela se enfrentam no próximo domingo (13), às 18h de Brasília, no Mané Garrincha.