Após surra na Câmara, governo deve apanhar no Senado e sofrer com Orçamento impositivo

BR: A Proposta de Emenda Constitucional (PEC) que engessa ainda mais o Orçamento da União, aprovada na Câmara dos Deputados também deverá ser apoiada pelo Senado. A PEC será apreciada na quarta-feira, dia 3, na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) e a relatoria da matéria deve ser entregue ao senador Marcos Rogério (DEM-RO).

Mesmo sem admitir publicamente a derrota, o Planalto deflagrou uma operação para tentar derrubar a PEC no Senado. A ideia é alterar o texto obrigando a proposta a voltar para a Câmara. Com isso, a nova tramitação nas comissões pode perdurar por dois meses, já que não existe urgência para emendas constitucionais.

A Câmara aprovou a PEC na terça-feira, 26, em menos de duas horas por, respectivamente, 448 e 453 votos a favor, no primeiro e segundo turno. Houve votos favoráveis inclusive do próprio PSL. A Proposta obriga o pagamento de despesas hoje passíveis de adiamento, como emendas de bancadas estaduais e investimentos em obras, reduzindo o poder do Governo sobre gastos públicos.