Após se vitimizar, jogador de vôlei demitido por homofobia aparece ao lado de Bolsonaro; verdadeira cara de Maurício Souza

O jogador de vôlei Maurício Souza, demitido do Minas Tênis Clube em outubro após fazer declarações homofóbicas em suas redes sociais, apareceu publicamente nesta segunda-feira, 22, ao lado do presidente Jair Bolsonaro, que fez a tradicional conversa com apoiadores na entrada do Palácio do Planalto, em Brasília.

Em um vídeo, Maurício aparece saindo do carro em que estava Jair Bolsonaro e foi aplaudido pelos apoiadores que aguardavam o presidente.

Notícias relacionadas

Bolsonaro sugeriu que as pessoas tirassem fotos com o jogador e ainda brincou: “Vou ensinar o Maurício a jogar vôlei que ele está meio devagar aí”, riu. As imagens não aparecem Maurício se manifestando.

Entenda

Maurício Souza foi demitido do Minas Tênis Clube após ser acusado de realizar comentário homofóbico nas redes sociais. No Instagram, comentando uma postagem da DC Comics sobre o novo Super-Homem se descobre bissexual, o atleta escreveu: “É só um desenho, não é nada demais. Vai nessa que vai ver onde vamos parar”.

Inicialmente, o jogador foi afastado do clube, multado e orientado a se retratar publicamente. Maurício se desculpou via Twitter – conta que tinha poucos seguidores – e, posteriormente, gravou vídeo em seu Instagram pedindo desculpas “a quem se sentiu ofendido com sua opinião”. Sob a pressão de patrocinadores, o clube anunciou a demissão pouco tempo depois.

Em meio aos desdobramentos da notícia, Bolsonaro chegou a defender o atleta na imprensa. “Impressionante, né? Tudo é homofobia, tudo é feminismo”, comentou o presidente em entrevista para a Jovem Pan.