Após demissão por fake news da CNN, Alexandre Garcia manda recado a seguidores: “Você que me acompanhava, continue me seguindo”

Depois de ser demitido pela CNN Brasil por disseminar informações improcedentes para “tratamento precoce” da Covid-19, Alexandre Garcia se manifestou via Twitter na noite desta sexta-feira (24). O jornalista não entrou em detalhes sobre o caso. Em sua mensagem, o antigo comandante do quadro Liberdade de Opinião, veiculado durante o telejornal CNN Novo Dia, pediu apenas para que o público acompanhe seu canal no YouTube.

Você que me acompanhava todos os dias só no ‘Liberdade de Opinião’ da CNN, agora pode continuar me seguindo diariamente no meu canal do YouTube. Seja muito bem-vindo!”, escreveu.

A CNN Brasil, por meio de comunicado oficial, deixou claro que a dispensa de Alexandre Garcia se deu não por suas opiniões, mas pela disseminação de notícias falsas sobre o coronavírus em suas participações no CNN Novo Dia – erroneamente associadas à opinião, especialmente por apoiadores de Jair Bolsonaro.

“A decisão foi tomada após o comentarista reiterar a defesa do tratamento precoce contra a covid-19 com o uso de medicamentos sem eficácia comprovada”, salientou o canal. “A CNN Brasil reforça seu compromisso com os fatos e a pluralidade de opiniões, pilares da democracia e do bom jornalismo”, concluiu, anunciando a manutenção do quadro, com novo âncora.

A gota d’água para a saída de Alexandre Garcia foi a afirmação sobre “remédios sem eficácia comprovada” que “salvaram milhares de vidas” em meio à repercussão sobre as denúncias contra a operadora de saúde Prevent Senior. A empresa é alvo de investigações por, ao que tudo indica, pressionar médicos a tratar pacientes com substâncias do “kit Covid”, como a hidroxicloroquina – apontada por Bolsonaro como “cura” para o coronavírus.