Após a festa das manifestações, Moro enfrenta CCJ amanhã

Acabou a festa.

Amanhã, o ontem aclamado ministro Sergio Moro, Justiça e Segurança Pública, vai até a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara para falar sobre os diálogos dele com o procurador Deltan Dallagnol, coordenador da força-tarefa da Operação Lava Jato, que mostram o ex-juiz indicando testemunhas de acusação em processo contra o ex-presidente Lula, sugerindo inverter as ordens de operações e antecipando ao menos uma decisão.

O comparecimento estava previsto para a semana passada, mas Moro faltou porque estava em viagem aos EUA – sem agenda relevante por lá, na verdade, estava apostando em grandes manifestações de apoio nas ruas, ontem, antes de comparecer à Câmara.

Na CCJ, Moro deve encontrar ambiente hostil, um campo muito mais minado do que o que encontrou ao ir à CCJ do Senado falar sobre o mesmo tema – lá houve pouca pressão sobre ele e quase nenhum momento de tensão.

Na CCJ da Câmara, a oposição ao governo Jair Bolsonaro é maior e mais atuante.

Vamos ver se as manifestações de rua em seu apoio de ontem vão arrefecer o ânimo dos deputados – e se haverá novas revelações de gravações do The Intercept.