Após 40 países, Brasil proíbe chegada de voos com origem ou passagem pelo Reino Unido; defesa contra nova mutação de coronavírus

Depois da decisão de mais de 40 países, o governo brasileiro resolveu na noite desta quarta-feira (24) proibir temporariamente os voos que tenham origem ou passagem pelo Reino Unido e Irlanda do Norte, como medida preventiva após a descoberta de uma nova variante do coronavírus Sars-CoV-2 no território britânico.

A decisão está incluída em uma portaria publicada em edição extra do Diário Oficial da União e entrará em vigor a partir do próximo dia 25 de dezembro, data em que é celebrado o Natal.

A nova norma ainda restringe a entrada no Brasil de estrangeiros de qualquer nacionalidade, por rodovia, por outros meios terrestres e por meio aquaviário.

Apesar da restrição, a portaria assinada pelos ministros Braga Netto (Casa Civil), André Mendonça (Justiça) e Eduardo Pazuello (Saúde) determina que, em caso de exceção, é preciso apresentar uma certificação da Polícia Federal.

“Excepcionalmente, o estrangeiro que estiver em país de fronteira terrestre e precisar atravessá-la para embarcar em voo de retorno a seu país de residência poderá ingressar na República Federativa do Brasil com autorização da Polícia Federal”, diz o texto.

A medida é anunciada dias depois de diversos países em todo mundo proibirem o ingresso de viajantes do Reino Unido, bloqueando voos provenientes dessa nação. No último fim de semana, as autoridades sanitárias britânicas revelaram a descoberta de uma nova cepa do coronavírus, com uma transmissão mais rápida do que as demais.

Por conta disso, o primeiro-ministro Boris Johnson determinou um lockdown em Londres e no sudeste da Inglaterra.