Alta amanhã: “O presidente está perfeito”, garante médico que operou Bolsonaro

No jornais desta terça-feira 12, o Estadão crava que o presidente Jair Bolsonaro poderá ter alta amanhã, a depender mais do cerimonial do Palácio do Planalto do que da equipe médica. Para os profissionais que fizeram a cirurgia no presidente, ele está “perfeito”.

Acompanhe a notícia publicada na edição do Estadão de hoje:

O presidente Jair Bolsonaro recebeu aval da equipe médica para ter alta amanhã do Hospital Albert Einstein, em São Paulo. A data de saída vai depender do Palácio do Planalto. Ontem, quando completou 15 dias de internação, Bolsonaro concedeu uma rápida entrevista, por telefone, à TV Bandeirantes, na qual afirmou que, “se Deus quiser, esta semana terei alta”.

“Ele pode ter alta sim. Mas eu não sei se ele vai quarta, ele e o cerimonial (do Planalto) vão decidir”, afirmou o cirurgião Antonio Luiz Macedo ao Estadão/Broadcast. “O presidente está ótimo, está perfeito.”

Mais cedo, ao jornalista José Luiz Datena, Bolsonaro disse que estava se “recuperando”. “Tive o problema de ter adquirido uma pequena pneumonia há uma semana. Se não fosse isso, eu poderia até estar de alta já. Se Deus quiser, esta semana terei alta”, disse o presidente. Ontem, Bolsonaro também recebeu a visita de três ministros, do governador de São Paulo, João Doria (PSDB), e do secretário estadual de Segurança Pública, João de Campos.

Os ministros Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional), Sérgio Moro (Justiça e Segurança Pública) e Fernando Azevedo e Silva (Defesa) despacharam com o presidente, segundo a assessoria de imprensa do Planalto.

As visitas de Doria e Campos foram “de cortesia”, disse, em Brasília, o porta-voz da Presidência, Otávio do Rêgo Barros. Ao deixar o hospital, após encontro de cerca de 20 minutos, Doria afirmou que o texto da reforma da Previdência deve ser fechado na sexta-feira e enviado para apreciação do Congresso já na semana que vem.

“O presidente deverá estar sexta-feira com o ministro Paulo Guedes para fechar o texto final que será encaminhado ao Congresso na semana que vem. Mas ele mesmo falará sobre isso tão logo esteja em Brasília”, afirmou Doria. Segundo o governador, os dois não conversaram sobre o conteúdo da reforma. “Esta semana ele sairá do hospital, ele está bastante convicto disso.”

Boletim. Bolsonaro já está liberado para falar, como fez ontem ao receber os visitantes, destacou o médico. “A única pendência são os antibióticos”, afirmou Macedo. De acordo com os médicos, ele precisa ficar internado até amanhã, quando termina o período de medicação para conter a infecção. Segundo o boletim médico divulgado à tarde, o presidente apresentou melhora “progressiva” e recebeu alta da terapia semi-intensiva. Além disso, Bolsonaro começou a se alimentar com uma “dieta leve” e foi suspensa a nutrição que recebia pela veia.