‘Alô, ministro, temos um problema!’: Maia diz a Guedes que se Bebbiano cair, Previdência cai junto

Num gesto radical, o presidente da Câmara, Rodrigo  Maia, telefonou nesta quinta-feira 14 para o ministro Paulo Guedes, da Economia, com uma avaliação dramática sobre as chances de a reforma da Previdência passar com tranquilidade pelo crivo dos deputados. No aviso a Guedes, Maia disse que, em caso de exoneração do ministro Gustavo Bebbiano, da secretaria-geral da Presidência, a reforma estará seriamente ameaçada. O executivo do Palácio do Planalto defenestrado em público pelo filho do presidente Jair Bolsonaro, Carlos, via Twitter, é percebido por Maia como o interlocutor mais qualificado do governo no diálogo com os parlamentares em geral, e com ele próprio em particular.

Maia usou um argumento facilmente compreensível para sustentar seu alerta. Disse a Guedes que, em caso de Bolsonaro defenestrar Bebbiano em apoio a Carlos, o mesmo o presidente poderá fazer com outros políticos que porventura entrarem em rota de colisão com seus filhos. Além disso, afirmou ao czar da economia que a queda de Bebbiano será uma prova de que Bolsonaro não cumpre seus compromissos políticos.

Maia, como se sabe, elogiou a postura do ministro na eleição para a Mesa da Câmara e com ele abriu uma relação de confiança. Com mais essa pressão, as apostas em Brasília contra Bebbiano viraram contra Bolsonaro, que parece sem condições políticas de remeter seu auxiliar “de volta às origens”, expressão utilizada em entrevista ontem à noite em entrevista à Rede Record. f