Aliado de Bolsonaro, Zampieri preso por corrupção na Prefeitura de Ponta Grossa (PR); vereador moralista comandava desvios desde 2006, acusa Gaeco

O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público do Paraná (MP-PR), prendeu nesta terça-feira (15) dois vereadores de Ponta Grossa: Ricardo Zampieri (Republicanos), aliado de Jair Bolsonaro no Paraná, e Valtão (PRTB). As informações são do G1.

De acordo com o MP-PR, as investigações identificaram possíveis ilegalidades na contratação de empresa pela Autarquia Municipal de Trânsito e Transportes do Município (AMTT) para a implantação e operação do Estar Digital (estacionamento rotativo) e para a compra de softwares pela Companhia de Habitação de Ponta Grossa (Prolar), entre os anos de 2016 e 2020.

O MP apura uma possível prática de manipulação e corrupção dos vereadores na Comissão Parlamentar de Inquérito instalada na Câmara Municipal para apurar os processos licitatórios que resultaram nas contratações. Zampieri era o presidente e Valtão o relator da CPI.

Conforme autorização da Justiça, Valtão ficará preso preventivamente, ou seja, por tempo indeterminado, e a Zampieri por cinco dias. O MP-PR ainda cumpriu 22 mandados de busca e apreensão e ordens de prisão contra quatro empresários e contra o presidente do AMTT.

Ao G1, a defesa do vereador Valtão informou que não irá se manifestar, pois ainda não teve acesso às investigações. Já a defesa de Ricardo Zampieri afirmou, em nota, que o vereador nega qualquer tipo de irregularidade, desvio de conduta ou possível fraude. Zampieri disse ainda que os esclarecimentos serão prestados junto às autoridades