Ajuda ou atrapalha? Trump manda recado a Bolsonaro de que fará “grande declaração” a favor de brasileiro

O ex-presidente dos Estados Unidos Donald Trump sinalizou que “em breve” fará uma “grande declaração” sobre Jair Bolsonaro. A mensagem consta em carta enviada pelo republicano ao filho 03 do presidente brasileiro, Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) –que a compartilhou em seu perfil no Twitter no domingo (10.out.2021).

“Eduardo, você é ótimo! Uma grande declaração sobre seu maravilhoso pai virá em breve. Cumprimentos, Donald Trump”, escreveu o norte-americano.

Segundo Eduardo Bolsonaro, o ex-presidente dos EUA “sofria os mesmos ataques que seu pai”. Trump também é de direita e tem perfil conservador.

Em um longo texto em seu perfil no Twitter, o deputado diz ter uma relação de “amizade” com o que classifica como o “Ronald Reagan de sua geração”.

Trump saiu do poder em janeiro de 2021, depois de ser derrotado pelo democrata Joe Biden nas eleições de novembro de 2020. No discurso de despedida, o republicano afirmou que voltará “de um jeito ou de outro”.

A THREAD DE EDUARDO BOLSONARO

Leia a íntegra do que escreveu o deputado em seu perfil no Twitter:

“Na carta [Trump diz]: ‘Eduardo, você é ótimo! Uma grande declaração sobre seu maravilhoso pai virá em breve. Cumprimentos, Donald Trump’.

Desde 2016, antes de sua eleição nos EUA, percebi que Trump sofria os mesmos ataques que meu pai.

Era a estratégia da esquerda de assassinar reputações pelo politicamente correto. Expressei meu apoio e passei a acompanhar o cara de O Aprendiz mais de perto.

Li seu livro “Great Again” e passei a admirar sua postura diante de outros líderes que desejavam subjugar ele e os EUA.

Nem imaginava que alguns anos depois meu pai seria eleito presidente, eu o deputado Federal mais votado da história e presidente da CREDN [Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional]. Assim, em março de 2019 pude ir na missão oficial do presidente Bolsonaro aos EUA e conhecer aquele homem que eu admirava pessoalmente.

Ele me convidou para a conversa reservada com JB no Salão Oval da Casa Branca e depois me homenageou na coletiva de imprensa no Rose Garden dizendo que reconhecia meu trabalho.

Ainda naquela oportunidade, Trump e Bolsonaro assinaram, dentre outros acordos, o de Alcântara.

Em agosto de 2019 consegui, junto com meus pares deputados, aprovar a matéria que acredito ser a mais importante de minha presidência na CREDN.

Retornei aos EUA em agosto na comitiva do chanceler Ernesto Araújo e agradeci pessoalmente a ação do presidente norte-americano na reunião de emergência do G7, requerida principalmente por Macron, para tratar de Amazônia, sem o Brasil.

Trump manteve-se firme contra a narcoditadura venezuelana, pressionou o Irã na questão nuclear, bombardeou e reduziu o território do Isis, fez o que era preciso com assassinos de ocidentais, enfim, deu o tom que com terrorista não se negocia e retomara o respeito dos EUA diante do mundo tornando-o mais seguro  –isso sem falar na questões internas como o maior corte de impostos das últimas décadas, a menor taxa de desemprego dos últimos tempos e o respeito à 2ª Emenda (acesso a armas).

Tenho por honra esse respeito, proximidade e porque não dizer amizade com aquele que é o Ronald Reagan da minha geração. E pode ter certeza: sempre aproveitando cada oportunidade internacional para lutar pelo bem do povo de São Paulo e do Brasil”.