A economistas, Lula dá linhas gerais para programa de governo; ordem para texto não ser pautado por interesses do mercado financeiro

Nesta sexta-feira (14), o ex-presidente Lula afirmou que o mercado financeiro não deve ditar o debate econômico no país. A declaração foi dada em reunião com com economistas que integram o núcleo de acompanhamento de políticas públicas da Fundação Perseu Abramo.

Dirigindo-se a economistas que se dedicarão à elaboração de seu programa de governo, o ex-presidente disse que os interesses do mercado não podem se sobrepor aos problemas que afligem a população. Com informações da Folha.

Lula aponta fome, desemprego, inflação, saúde e educação como pautas prioritárias e inclui a defasagem salarial como problema a ser enfrentado. Ainda segundo participantes, Lula afirmou que o PT já provou que tem responsabilidade fiscal.https://a4ee445a15e642aa0b8fda0aa5739d01.safeframe.googlesyndication.com/safeframe/1-0-38/html/container.html

Leia também:

1- Caixa libera FGTS para cidades da Bahia e Minas devido às fortes chuvas

2- União nega negociação para reduzir o passivo fiscal de R$ 2 bilhões da Itapemirimhttps://a4ee445a15e642aa0b8fda0aa5739d01.safeframe.googlesyndication.com/safeframe/1-0-38/html/container.html

3- Deportação de Djokovic é suspensa pelo governo da Austrália

Economia do governo Lula

O ex-presidente disse que, na sua administração, houve valorização do salário mínimo e política de inclusão social sem aumento de inflação e afirmou ter conhecimento de que a estabilidade é importante para deter a alta de preços ao consumidor. ​

Ele lembrou que, no início de seu governo, a dívida pública representava cerca de 60% do PIB e correspondia a 30% quando encerrou seu mandato.https://a4ee445a15e642aa0b8fda0aa5739d01.safeframe.googlesyndication.com/safeframe/1-0-38/html/container.html

O ex-presidente listou esses dados para argumentar que nenhum outro partido foi mais sério na gestão fiscal. Mas que, ainda assim, o partido é alvo de cobrança injusta e desproporcional.