100 mil PMs de prontidão em SP por risco de retaliação do PCC pela transferência de Marcola

A Polícia Militar de São Paulo está com um efetivo de nada menos do que 100 mil homens de prontidão. O alerta geral foi dado em razão do risco de haver retaliação do PCC – Primeiro Comando da Capital -, a maior facção criminosa do País, em razão da transferência do líder Marcos Camacho, o Marcola, e mais 21 chefes do grupo para presídios federais. Todos eles estavam presos em presídios de Presidente Prudente e Presidente Venceslau, no interior de São Paulo. A partir de agora, encarcerados em presídios federais, eles terão mais dificuldades em se comunicar com o meio exterior, além de serem submetidos a um regime disciplinar mais duro.

Os policiais militares de férias ou folga foram orientados a redobrarem os cuidados com a segurança pessoal. O PCC já realizou ataques em massa em São Paulo, obrigando o fechamento do comércio, interrompendo o sistema de transporte coletivo e realizando depredações.