Caso Neymar: denúncia grave, erros de estratégia, piadas e fake news se somam na destruição da imagem do maior jogador de futebol do Brasil; mergulho na gangorra das celebridades

BR: Em torno de um caso sério e rumoroso, as informações e comentários sobre a acusação de estupro que pesa contra o atacante Neymar misturam fatos concretos, especulações, memes e fake news. Aos borbotões. Logo que explodiu o escândalo, a atriz Bruna Marquezine se viu obrigada a denunciar como montagem um post atribuído a ela com ironias sobre a situação do ex-namorado. A associação da perda do coração da bela, da braçadeira de capitão da Seleção Brasileira e o fato de ter levado uma bola entre as pernas de um jogador mais jovem, durante os treinos para o quais chega de helicóptero, se somaram em uma das muitas piadas que se multiplicam nas redes sociais.

E todos sabem que o caso é sério. O que é dito em torno do inquérito sigiloso em curso na polícia de São Paulo aponta para a existência de provas de violência, como laudos periciais indicando hematomas na mulher, que sustentariam a denúncia contra o craque. Seria de esperar que, a esta altura, se houvesse razões suficientes para a suspeita de falsa acusação de crime de estupro, a denunciante já estaria presa pela polícia. Mas está livre e, ainda, na posição de vítima. Neymar está, ao menos momentaneamente, no paredão dos suspeitos – e só havia ele no quarto do hotel com ela.

A defesa de Neymar está mostrando porque, afinal, ele famoso no ataque: está perdida. Consta que seus advogados deram sinal verde ao vídeo que só complicou, e com gravidade, a situação do jogador diante das autoridades. Constitui a veiculação de diálogos e fotos íntimas, mesmo editadas, crime de internet, acusação que o fez ser procurado pela polícia na Granja Comary. A defesa pediu adiamento, para a próxima semana, do depoimento a ser dado por Neymar na delegacia de Santo Amaro. Foi mais um erro de estratégia. Até que ele se explique cabal e oficialmente, tudo gira contra Neymar, da pressão de patrocinadores que indicam romper contratos milionários se a inocência não for comprovada logo até a deterioração em alta velocidade de sua imagem pública. Ele poderá sangrar pelo bolso, mas já despenca na gangorra das celebridades.

Na mídia especializada, já se forma uma ampla convergência contra a permanência de Neymar na Seleção Brasileira que vai disputar, no Brasil, a Copa América. Pede-se o corte do jogador pela comissão técnica. O vice-presidente da CBF, Francisco Noveletto, aposta que o jogador irá ele próprio pedir dispensa. “Ele não tem condições psicológicas”, apontou.

Amigo do pentacampeão mundial de Fórmula-1, Lewis Hamilton, não parece haver clima para, no momento, reunir Neymar e seu parça em torno da mesma mesa de boate, como eles próprios já foram vistos e fotografados ao lado de modelos internacionais. Nem fazer uma selfie com Will Smith, que duas semanas atrás dividiu um churrasco com o craque brasileiro, emprestando-lhe ainda mais prestígio. Todas essas e outras relações relevantes estão em suspenso desde o sábado, quando a notícia da denúncia formal de estupro correu mundo como a fama de seus gols.

A demora em se apresentar às autoridades só agrega desgaste a Neymar. Depois do vídeo que ele acreditou que lhe serviria de defesa, e provou-se como um espetacular gol contra, o jogador e seu longo séquito não apresentaram um único fato consistente para a desconstrução da acusação. A melhor notícia neste campo veio, espontaneamente, da ex-defesa da acusadora, que afirmou que ela não incluiu estupro na queixas que iriam motivar a denúncia. O ponto principal era o da violência física que ela teria sofrido, o que reduziria a acusação para a de agressão, atenuante em relação as atuais circunstâncias. Fora este ponto solitário, é inegável que Neymar está perdendo de goleada a partida em que se joga de forma dramática, como numa final de campeonato, a preservação, desgaste ou completa destruição de sua imagem.

O caso policial é global. Neymar vai se arrepender profundamente, para sempre, dos episódios que marcaram seu envolvimento, que ele mesmo admite, com a mulher até aqui sem identidade.