Guedes vaza que pacote de Moro atrapalha reforma da Previdência

Em publicação na quarta-feira 6, BR2pontos alertou que o pacote anticrime apresentado pelo ministro Sérgio Moro tinha a forma de um tiro no pé do próprio ex-juiz.

Confirmado.

Nota disparada na tarde desta quinta-feira 7 pelo jornalista Guilherme Amado, da prestigiada revista Época, dá conta de que a equipe econômica – leia-se, ministro Paulo Guedes -, não gostou nada do momento escolhido por Moro para apresentar suas ideias de como combater a corrupção e o crime organizado.

Ocorre que, ao falar em criminalizar o caixa 2 e corroborar a tese da prisão após condenação em segunda instância, entre outros pontos, Moro abriu divergências dentro da base de apoio do presidente Jair Bolsonaro no Congresso. A Bancada da Bala, por exemplo, já deu o recado de que não emprestará seus votos para a aprovação das medidas propostas pelo ministro.

Do lado da equipe econômica, a consideração é a de que Moro interpôs um forte ruído na difícil sintonia que se tenta estabelecer com deputados e senadores em torno da reforma da Previdência.

Ao mostrar seu pacote primeiro  – e com o presidente Jair Bolsonaro praticamente desacordado no Hospital Albert Einstein, recuperando-se de cirurgia para a retirada de uma bolsa de colostomia -, Moro apostou uma corrida com os liderados por Paulo Guedes que não deveria ter ocorrido.

O ministro da Justiça, afinal, conseguiu desde ontem virar os holofotes da mídia para si próprio, no exato momento em que só quem deveria brilhar eram Guedes e seus auxiliares.

Cena de ciúmes em um governo ainda desencontrado e já bastante dividido.