2 pesos e 2 medidas em Rodrigo Bocardi, o ambíguo âncora da Globo: prefeitos têm culpa em enchentes, mas Doria é inocente por escolas sem policiamento

BR: O âncora do jornal ‘Bom dia, São Paulo’, da Rede Globo, precisa se decidir. Nesta semana, quando fez seus muitos comentários sobre as enchentes que causaram caos e prejuízos em cidades da Grande São Paulo, ele atacou diretamente os prefeitos, em especial Bruno Covas, da capital paulista, pela ausência de investimentos e serviços de manutenção, o que potencializou e agravou os problemas causados pelas chuvas.

Diante da tragédia ocorrida na Escola Estadual Raul Brasil, quando ficou evidente que a falta de policiamento com operações do tipo Ronda Escolar facilitou sobremaneira os crimes bárbaros praticados pelos invasores, Bocardi só faltou elogiar o governador João Doria. O âncora não fez nenhuma manifestação a respeito da ausência da Ronda Escolar ou do antigo sistema em que viaturas da PM ficavam estacionadas nas portas das escolas. Muitas vezes, esse trabalho de vigilância durante os horários de aulas era feito em parceria com as Guardas Municipais.

Se as enchentes são responsabilidade das autoridades, por que a falta de policiamento nas escolas não deve ser cobrada, com a mesma ênfase, de um governador que pautou sua campanha eleitoral na questão da segurança, mas falhou em não dar continuidade aos programas de proteção das escolas que ocorreram na gestão do antecessor Geraldo Alckmin?

A explicação certamente está na postura de Bocardi, um dos maiores formadores de opinião de São Paulo, graças à grande audiência do ‘Bom dia’. Ele está se especializando em fazer críticas seletivas. Opiniões duras para os pequenos, compreensão sobre os grandes. Quando chega o momento de apontar o dedo para Doria, Bocardi se recolhe. Por que será?