Eduardo Bolsonaro garante: embaixada do Brasil em Israel muda para Jerusalém “muito antes do final do mandato”

BR: O deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) disparou no Twitter que os jornais “tentam emplacar a retórica” de que seu pai não vai mudar a embaixada para Jerusalém com o objetivo de “desgastá-lo” com os cristãos. “No mundo real, o presidente afirma que vai mudar e muito antes do final de seu mandato”, afirma o filho do presidente Jair Bolsonaro. A declaração acirra a polêmica criada em torno do assunto. Os embaixadores de países árabes no Brasil requisitaram uma reunião com o presidente, assim que ele voltar de Israel. Ao mesmo tempo, alguns países da comunidade árabe acenam com a possibilidade de trocar compras de alimentos feitas no Brasil por negócios com a Índia.

A bancada evangélica não ficou satisfeita com a abertura de um escritório de negócios, queria a transferência definitiva da embaixada de Tel-Aviv para a cidade. Bolsonaro indicou que ainda pretende fazer a mudança. Ele afirmou que tem tempo, pois seu mandato vai até 2022.


Na volta ao Hotel Rei David, Bolsonaro chorou ao agradecer um grupo de cerca de 30 pessoas que cantava “Derrama senhor, derrama senhor o seu amor”.

EXPLICAÇÕES PARA O RECUO

O presidente Jair Bolsonaro tentou explicar aos seus eleitores evangélicos o motivo do recuo na decisão de levar a embaixada brasileira de Tel-Aviv para Jerusalém. Em entrevista à TV Record, Bolsonaro avaliou que o “ponto máximo” de sua viagem a Israel foi a aproximação com o primeiro-ministro do país, Binyamin Netanyahu. “A confiança que um transmitiu para o outro é mais importante do que qualquer coisa”, disse ele.

Sobre a transferência da embaixada brasileira, Bolsonaro justificou que sua promessa de campanha se mostrou mais difícil do que parecia inicialmente. “Quando a gente cria uma representação para atender negócios em Jerusalém, nós demos mais um passo nessa questão”. Ele voltou a defender que Israel tem o direito de escolher sua capital.

O presidente disse ainda que não deseja criar atritos com outros países. “Temos conversado com o mundo árabe, porque o Brasil é um país de todos. Tem todo mundo lá dentro. Buscamos conversar com essas pessoas, conversar com embaixadores. Tenho uma viagem para a região do Oriente Médio no segundo semestre.”