Mais de 80 quebras de sigilo: ou Flávio Bolsonaro vira o político mais honesto do Brasil, ou perda de mandato entra no horizonte

BR: Pouca vezes se viu, mesmo no padrão da Operação Lava Jato, uma quebra de sigilos fiscal e bancária tão ampla quanto a que atinge neste momento o senador Flavio Bolsonaro. São nada menos que 83 averiguações em contas e declarações ao Fisco, pertencentes a antigos assessores, parentes e empresas ligadas a eles, que têm relação direta ou indireta com as atividades políticas, no Rio de Janeiro, em seu tempo de deputado estadual, do filho 01 do presidente Jair Bolsonaro.

A quebra do sigilo do ex-assessor Fabrício Queiroz, sua mulher e filhas, assim como a da mulher de Flávio e da empresa do casal estão no bolo de requisições do Ministério Público acatadas pelo Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro. Se houve a prática de ‘rachadinha’, a conhecida divisão dos salários de assessores com o dono do mandato eletivo, sem dúvida será descoberta.

Nesse caso, o senador Flávio Bolsonaro deverá enfrentar, entre outros, um sério processo de perda de seu mandato de senador, pois poderá ser acusado de ter-se beneficiado da ‘rachadinha’ para catapultar seu nome junto ao eleitorado. Ele foi deputado estadual no Rio de Janeiro até o final do ano passado.

Ao contrário, caso nada seja encontrado, Flávio Bolsonaro poderá andar pelas ruas dizendo, com razão provada e comprovada, que é o político mais honesto do Brasil. Sofreu uma devassa pesada e dela escapou ileso. Qual das duas hipóteses será provada, é o que as investigações vão demonstrar.