Hackeado nº 1: devastação eletrônica sobre o Ministério Público começou pelo celular de Janot, aponta PF

A investigação da PF (Polícia Federal) sobre ataques hackers a autoridades ligadas à operação Lava Jato aponta que o celular do ex-procurador-geral da República Rodrigo Janot foi o 1º aparelho invadido. As informações são do portal G1.

Segundo a publicação, foi a partir do Telegram instalado no aparelho de Janot que o invasor chegou aos grupos de conversa com procuradores. O hacker conseguiu os números de celulares dos integrantes da operação.

De acordo com a PF, mais de 10 autoridades confirmaram que foram alvos de hackers ou de tentativas de invasão nos celulares, como o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, e o procurador Deltan Dallagnol. le 2