Cabeçada de deputado do PSL em colega do PSD vai custar duas acusações no conselho de ética: do agredido e do partido

BR: Por “agressão” e “ameaça”, o deputado Julian Lemos, do PSL, será denunciado duas vezes no Conselho de Ética da Câmara: uma pelo colega parlamentar agredido por ele, Expedito Netto, e outra pelo partido da vítima, o PSD. Lemos foi coordenador da campanha presidencial de Jair Bolsonaro no Nordeste e se diz amigo pessoal do presidente. O Conselho de Ética da Câmara, como se sabe, não é nem rápido nem rigoroso. A estratégia do PSD de jogar o peso do partido na denúncia, associando-se ao deputado da legenda, visa pressionar o órgão a quebrar sua tradição e, efetivamente, agir com brevidade e severidade.