Banco do Brasil anuncia corte de 333 agências e pode demitir 3 mil funcionários

O conselho de administração do Banco do Brasil aprovou a reorganização institucional de 333 agências tradicionais que serão transformadas em postos de atendimento avançado. O BB anunciou ainda um plano que inclui demissões e corte de cargos. As mudanças vão afetar até 3 mil pessoas. O anúncio foi feito nesta segunda-feira, e a reestruturação ocorrerá no segundo semestre deste ano. O impacto financeiro das medidas será divulgado até o final de agosto.

De acordo com nota do banco, uma das medidas aprovadas foi o Programa Adequação de Quadros (PAQ), “que visa otimizar a distribuição da força de trabalho, equacionando as situações de vagas e de excessos nas unidades do banco&rdqu o;. Ainda segundo o Banco do Brasil, “os funcionários que reúnam as condições estabelecidas no regulamento poderão aderir a um plano de desligamento incentivado”.

Funcionários localizados em dependências com excesso no quadro podem aderir ao plano de demissão voluntária. Esses funcionários também terão a possibilidade de movimentar-se, com priorização, para vagas existentes em outras unidades. Segundo o banco, esse desligamento de funcion&aacu te;rios poderá ocorrer também como aposentadoria. A adesão poderá ser feita a partir de hoje e até 14 de agosto.

Além dos direitos regulamentares de desligamento de pessoal, haverá uma indenização vinculada ao tempo de trabalho na instituição, de até 9,8 salários e a garantia do plano de saúde dos funcionários e dependentes pelo período de um ano.

Além disso, o BB informou que deve revisar e redimensionar “a estrutura organizacional nos níveis estratégico (direção geral), tático (superintendências), de apoio (órgãos regionais) e de negócios (agências)”, e que deve criar a Unidade Inteligência Anal&iac ute;tica, com o objetivo de acelerar sua transformação digital. A unidade acompanhará o desenvolvimento de técnicas, ferramentas e inovações que utilizam soluções com inteligência analítica e artificial.

Entre as medidas, também está a transformação de 49 postos de atendimento em agências e de 333 agências em postos de atendimento. “O atendimento aos clientes não sofrerá mudanças”, segundo a nota do banco. As agências transformadas em postos continuarão a prestar o s mesmos serviços financeiros, havendo impacto somente na estrutura organizacional, de acordo com o comunicado. O BB pretende criar 42 novas agências especializados no atendimento a empresas, até outubro. Essa medida prevê a especialização de atendimento em carteira varejo, sem mudança física.