O GLOBO: Bolsonaro diz a Bivar que sai do PSL se “essa relação de merda com o governo” continuar; quer que partido “arrume a casa” e controle deputados descontentes

Em reunião a portas fechadas no gabinete presidencial na manhã de ontem, o presidente Jair Bolsonaro cobrou da cúpula de seu partido, o PSL, que “arrume a casa” enquadrando parlamentares para afinar o discurso e promovendo trocas nas direções em alguns estados.

A cobrança foi feita para assegurar que ele continue no partido até 2022, inclusive em uma eventual candidatura à reeleição. Participaram da reunião, que durou meia hora, o presidente nacional da legenda, deputado Luciano Bivar (PE), o vice-presidente Antônio Rueda e a advogada Karina Kufa.

O presidente disse que o partido precisa demonstrar “unidade ”. Bolsonaro teria dito aos dirigentes do PSL que não dá para a sigla manter essa relação de “merda” com o governo. Reclamou do clima de desarmoniae de deputados que o atacam frequentemente.

Esse é o caso, por exemplo, de Alexandre Frota (PSLSP). Questionado sobre quem mais o decepcionou após entrar na política, Frota respondeu, conforme divulgado pelo blog do colunista Guilherme Amado, da revista Época: “Com toda a certeza, foi o Bolsonaro”.

Aliados do presidente atribuem a insatisfação de Frota à tentativa frustrada de fazer indicações para cargos federais, o que ele nega.

Líder do PSL na Câmara, Delegado Waldir (GO) também já fez críticas ao governo, chegando a acusar o Planalto de prejudicar o andamento da reforma da Previdência.

Para Bolsonaro, Bivar também precisa evitar novas dissidências nas votações no Congresso. Bolsonaro quer afastar o risco de derrotas como a que aconteceu na votação, na comissão especial da Câmara, dos destaques que previam regras mais vantajosas para a aposentadoria de policiais. A insistência do PSL em manter o Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) no Ministério da Justiça, mesmo com o risco de a Medida Provisória da reforma administrativa perdera validade, também entrou na contabilidade do governo como erro que não deve se repetir.

GAROTO PROPAGANDA

Bivar saiu em defesa da legenda. Disse que, apesar das confusões, o PSL é fiel e vota junto com o governo.

Ontem, Bolsonaros e comprometeu agravar um vídeo para ser divulgado no dia 17 de agosto convidando eleitores ase filiara o PS L. A legenda espera aumentar de 250 mil para um milhão o número de filiados. Com o crescimento que teve em 2018, quando sua bancada federal foi de um para 52 deputados eleitos, a legenda passou ater uma fatia considerável dos fundos partidário e eleitoral e espera alavancar seus candidatos nas eleições municipais do próximo ano. A legenda deve receber nos próximos quatro anos R$ 737 milhões de fundos públicos.

Bolsonaro chamou Bivar para viajar com ele para Barretos (SP) no dia 17, data na qual o PSL fará um ato nacional de filiação. Bolsonaro disse que lá andariam a cavalo.

—O último cavalo que andei foi de carrossel, presidente — brincou Bivar, que passará a data em Recife.

Com participação mais ativa na vida partidária, Bolsonaro passaria a participar da indicação de dirigentes do PSL nos estados. A tendência é colocar à frente dos diretórios estaduais integrantes que sejam alinhados politicamente com ele.

Na reunião de ontem, Bolsonaro não tocou na questão de mudar o nome do partido, defendida por vários integrantes que só aderiram àlegend ajunto como presidente, no início do ano passado. Bivar é enfático ao defender a nomenclatura, sustentando que“carrega uma história há mais de 20 anos”.

Bolsonaro também não tocou nas acusações de candidaturas-laranja que atingem o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, que era presidente do PSL em Minas Gerais nas eleições de 2018.