Crivella culpa Bolsonaro por falta de verbas contra enchentes; Carluxo culpa Crivella por culpar o pai; base evangélica governista racha no Rio de Janeiro; Maia entra na briga

BR: Umbilicalmente ligado à Igreja Universal, o prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, está no epicentro de um racha na base evangélica governista no berço político do presidente Jair Bolsonaro. Crivella cobrou publicamente de Bolsonaro, hoje, verbas federais contra as enchetes que têm assolado a capital do Rio de Janeiro a cada chuva mais forte. Vereador na cidade, Carlos Bolsonaro atacou o prefeito, a quem acusou de culpar Bolsonaro pelas tragédias que, segundo ele, são resultado da incompetência do próprio Crivella. O embate mostra um racha profundo na base evangélica do clã Bolsonaro em seu berço político, com Crivella e sua influência na Universal disparando contra o chefe da família. Uma eventual candidatura de Carlos ou do deputado Eduardo Bolsonaro a prefeito do Rio, na sucessão de Crivella, em 2020, sairia enfraquecida neste contexto. No ano passado, Bolsonaro anunciou seu voto em segundo turno para Crivella. Sem ter o que perder, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, entrou no meio da briga política ao dizer que também vai exigir a liberação urgente de verbas federais para obras contra enchentes.

A cobrança de Crivella sobre Bolsonaro foi forte:

“Eu já fui a Brasília várias vezes, mas passados três meses do governo ainda não foi assinado o repasse de verba para cuidar da rede pluvial, despoluir rios e remover pessoas que vivem em áreas de risco”, disse o prefeito, em referência ao governo federal e, por extensão, ao presidente.

O vereador Carlos Bolsonaro vestiu a carapuça e atacou Crivella, em defesa do pai, via Twitter:

“Chuvas e irresponsabilidades trazem este tipo de resultado ao Rio. Novo, é o Prefeito culpar o Presidente com pouco mais de 3 meses de mandato e realizando o que pode pelo país. Meus sentimentos ao carioca. Seguimos cobrando e propondo soluções, como sempre participamos”, escreveu Carluxo.

De olho em sua própria popularidade em sua base eleitoral, Rodrigo Maia declarou que vai cobrar a liberação urgente de verbas federais para o combate às enchentes no Rio.  

Diante de toda a pressão, se Bolsonaro não agir rápido e deixar de fazer algum anúncio concreto de ajuda federal ao Rio, novos pontos em pesquisas de opinião podem ser perdidos em sua base política. a a pre