Inquisição virtual vai prosseguir: “Quem não estiver alinhado com Bolsonaro vai acabar tomando crítica”, diz filho 03

BR: Em meio à crise que pode resultar no pedido de demissão do ministro Carlos Alberto dos Santos Cruz da Secretaria de Governo, o deputado federal Eduardo Bolsonaro defendeu que os ataques a adversários ou a quem não estiver “alinhado” com o presidente devem prosseguir:

“Todos nós somos reflexo daquilo que falamos. Quem não estiver alinhado com Bolsonaro vai acabar tomando crítica das pessoas que apóiam Bolsonaro”, afirmou o filho 03, dando sustentação à espécie de inquisição virtual em curso, feita de maneira coordenada pelos bolsonaristas.

Atacado pelo guru Olavo de Carvalho e em milhares de postagens de apoiadores do governo, o general Santos Cruz relatou a Bolsonaro, no domingo, em conversa extra-agenda no Palácio da Alvorada, que sente que as ofensas a ele são desfechadas de maneira organizada. Entre os grupos estariam os filhos do presidente, o secretário de Comunicação, Fábio Wajngarten, e assessores governamentais ligados ao ideólogo Olavo de Carvalho.

“Não estou vendo isso não”, negou o 03, sem querer comentar a situação de Santos Cruz: “Prefiro não falar desse assunto até que eu tenha noção do que esteja se passando”.

Na mesma entrevista, o filho do presidente defendeu a compra ilimitada de munição para os donos de armas no País:

“Para mim não haveria limite para compra de munição e haveria uma legislação mais punitiva para quem se utilizar da lei para vender munição ilegalmente. Mais munições por ano para as pessoas que tenham arma possam treinar e ficar mais preparadas é bem-vindo”, disse ele.