A Ratinho, Bolsonaro admite que decreto das armas burla lei: “Nós driblamos, no bom sentido, uma obrigatoriedade para comprar arma de fogo”

BR: Em rede nacional, mas como se estivesse travando uma conversa íntima com o apresentador Ratinho, do SBT, o presidente Jair Bolsonaro admitiu que o decreto das armas passou por cima da legislação que exige a comprovação de efetiva necessidade para a compra de armas de fogo.

A confissão se deu no seguinte diálogo:

“Posso comprar um revólver?”, perguntou Ratinho.

“Pode comprar um revólver”, respondeu Bolsonaro, que completou:

“Eu estou com meia quatro (64 anos de idade). Naquele tempo, o jovem comprava na Mesbla um três oitão (revólver calibre 38) para seu pai, sem problema nenhum. Lógico, nós não queremos que volte esse tipo de comércio aqui, mas nós driblamos, no bom sentido, uma obrigatoriedade para você comprar uma arma de fogo. Você tinha de comprar a efetiva necessidade”, disse Bolsonaro.

Agora, com o decreto das armas em vigência, não tem mais.