ABI faz homenagem a Greenwald, enquanto Bolsonaro bate mais: “Não é jornalista, é militante”

O presidente Jair Bolsonaro voltou a atacar o jornalista Glenn Greenwald, fundador do site The Intercept, que vem divulgando mensagens trocadas entre o ex-juiz e atual ministro da Justiça, Sérgio Moro, e integrantes da Lava Jato e que revelaram o conluio da operação. Segundo Bolsonaro, Greenwald não é jornalista, mas “militante”. 

Os constantes ataques feitos por Bolsonaro contra Greenwald levaram a Associação Brasileira de Imprensa (ABI) a promover um ato em defesa do jornalista que será realizado nesta terça-feira (30). O ato acontecerá no auditório do 9° andar de sua sede na Rua Araújo Porto Alegre 71, Centro, Rio de Janeiro.

“Aqui, o Greenwald é jornalista?  Ah tá, o Greenwald é jornalista? Ele é jornalista? Ele é militante. Eles já acharam 100 mil reais com gente deles lá”, afirmou Bolsonaro em referência ao dinheiro encontrado na casa de um dos suspeitos presos pela Polícia Federal sob a acusação de ter invadido os celulares das autoridades envolvidas no caso. 

Apesar de não haver evidências do envolvimento do jornalista na suposta invasão, Bolsonaro insistiu que Greenwald teria cometido um crime ao divulgar as informações obtidas por meio do suposto ataque de hackers. “O primeiro crime é invasão. Foi por terceiros”, disse Bolsonaro.