Quando pousar em Dallas, na manhã da próxima quarta-feira, em sua quinta viagem internacional, o presidente Jair Bolsonaro terá pela frente dois dias com uma agenda que terá como ponto alto, até agora, um encontro com o ex-presidente George W. Bush. Isso pode lhe render problemas no relacionamento com o presidente Donald Trump. O ex-presidente republicano é franco opositor de Trump.

“Não podemos esquecer que ele (Trump) leva todos os temas para o lado pessoal e tende a ser rancoroso, afirma Oliver Stuenkel, professor-adjunto de Relações Internacionais na Fundação Getulio Vargas (FGV).

O motivo oficial para a segunda volta de Bolsonaro aos Estados Unidos é sua participação no jantar em que receberá o título de “Personalidade do Ano” da Câmara de Comércio Brasil-Estados Unidos. Originalmente marcado para Nova York, o evento foi transferido depois de uma série de protestos contra a presença do brasileiro. A viagem ao Texas foi resolvida em tempo recorde.