Huck convocado pelo MP a explicar relação entre acordo por agressão ao meio ambiente, em Angra, e exposição no ‘Caldeirão’, da Globo

BR: Pode ser mais do que uma simples coincidência – e é isso o que o Ministério Público do Rio de Janeiro. Autuado pelo MP por agressão ao meio ambiente, praticada na casa que vendeu, seis anos atrás, ao empresário Joesley Batista, em Angra dos Reis, o apresentador Luciano Huck conseguiu, na ocasião, assinar um Termo de Ajuste de Conduta. Agora, o modo como o Tac foi assinado está sob suspeita.

Ocorre que o promotor Bruno Lavorato, que intermediou o acordo com o apresentador global, está sob investigação por suspeita de ter vendido esses acordos, não apenas para Huck como para outros 12 infratores que se beneficiaram do ajuste de conduta.

O MP observou que, logo após a assinatura da Tac de Huck, o programa Caldeirão do Huck, que ele comanda na Rede Globo, exibiu a apresentação de uma dupla sertaneja que tem como empresário o promotor Lavorato. Os investigadores estão desconfiados de que o apresentação pode ter entrado no pacote da Tac que livrou Huck de multas mais pesadas.