Mantega e Palocci põem André Esteves, do BTG, no modo atenção máxima

Após a conclusão da 20ª CEO Conference, o evento anual do BTG Pactual, o banqueiro André Esteves entra num período de forte apreensão. Suas preocupações têm nomes: Guido Mantega e Antonio Palocci.

Mantega está sendo pressionado a fazer uma delação premiada com a Operação Lava-Jato para se manter longe da cadeia. Como assinala a edição do Relatório Reservado desta quarta-feira 27, ele e Esteves nunca se perderam de vista, após terem sido muito próximos durante o governo Lula.

Quanto a Palocci, que já conta à Polícia Federal o que sabe, uma informação prestada pelo ex-ministro recentemente acaba de reabrir as investigações sobre os negócios da Sete Brasil com a Petrobras. Liderada inicialmente pelo BTG, a Sete está envolvida no imbróglio de construção de sondas de exploração de águas profundas cobradas da estatal com sobrepreço, o que barrou a entrega de um lote contratado pela companhia durante o governo Dilma Rousseff.

Depois dos sorrisos distribuídos em seu evento, a tendência é a de que Esteves fique a partir de agora em modo de atenção máxima.