Papa se pronuncia contra nacionalismos e discursos que lembram Hitler: ” ‘Primeiro nós, nós, nós’. Estes pensamentos são aterrorizantes”, acusou Francisco

“O nacionalismo é uma atitude de isolamento. Estou preocupado porque ouvidos discursos que lembram os de Hitler em 1934. ‘Primeiro nós, nós, nós’. Esse são discursos aterrorizantes”, disse o Papa em entrevista ao jornal La Stampa, respondendo a questões sobre a crise política italiana, a partir do rompimento pela extrema direita de Matteo Salvini, do partido Liga, que considerou rompida sua coalizão de governo com o Movimento 5 Estrelas, antissistema. Salvini, fortalecido, pediu a convocação de eleições.

“Um país deve ser soberano, mas não fechado. A soberania deve ser defendida, mas as relações com outros países e com a Comunidade Europeia também devem ser protegidas e promovidas. O nacionalismo é sempre um exagero que acaba mal: leva a guerras”, completou Francisco.

O pronunciamento do Papa vale também para o Brasil de Bolsonaro?

O que você acha?