Além de Moro e Dallagnol, hackers presos podem ter invadido 1.000 celulares, aponta Polícia Federal

O delegado João Vianey Xavier Filho afirmou em coletiva de imprensa na tarde desta quarta-feira, 24, que a Polícia Federal (PF) estima que 1000 números telefônicos tenham sido invadidos pelo grupo preso na terça-feira 23, suspeitos de acessar o telefone do ministro Sergio Moro. As investigações apontam que o ministro da Economia, Paulo Guedes, que também teve o celular atacado, tenha sido vítima do “modus operandi da quadrilha”.

Xavier Filho disse que, em um dos locais que foi alvo de mandado de busca e apreensão, foram encontrados aparelhos com atalhos para a conexão em aplicativos de mensagem. “O investigado fazia toda a burla necessária e, uma vez feita, ele conectava o conteúdo a um computador”, disse o delegado. As evidências, explicou Xavier Filho, mostram que as mensagens eram transferidas para computadores. Em outro endereço, foram encontrados quase 100.000 reais em espécie.