Bolsonaro admite que imposto sobre igrejas será debatido “em grupo de estudo em profundidade”

BR: Em mais um recuo de um recuo, o presidente Jair Bolsonaro admitiu ao deputado Robson Rodovalho, fundador da igreja Sara Nossa Terra, que o governo vai sim discutir um imposto sobre o faturamento das igrejas a partir dos dízimos cobrados dos fiéis.

“O presidente disse que vai fazer um grupo de estudo em profundidade para avaliar isso tudo. Ele disse: ‘Acho que tudo que mexe com tributação de igreja é importante, vou fazer um estudo para avaliar isso’”, disse Rodovalho, que se encontrou com Bolsonaro na semana passada.

Até o meio da tarde desta segunda-feira 6 não havia desmentido do Palácio do Planalto para o relato do parlamentar.

Na semana passada, Bolsonaro desautorizou declaração do secretário da Receita, Marcos Cintra, que disse ao jornal Folha de S. Paulo que há planos para a criação de um imposto sobre transações financeiras, nos moldes da antiga CPMF, que também incidiria sobre os dízimos recolhidos pelas igrejas. O presidente foi peremptório em afirmar que não haverá a criação de impostos em seu governo.

Nos bastidores, como se sabe agora pela versão do parlamentar religioso, a conversa é outra.