Monarquista justifica escravidão em homenagem à Lei Áurea: “É quase um aspecto da humanidade”, diz ‘príncipe’ Orleans e Bragança, despertando vaias

BR: O deputado Luiz Philippe de Orleans e Bragança (PSL-SP) mostrou hoje durante homenagem do Congresso aos 131 anos da Lei Áurea, completados ontem, que a Casa Imperial brasileira andou para trás. Conhecido como ‘príncipe’ e com a princesa Isabel, autora da lei que libertou nos escravos entre seus ancestrais, ele praticamente defendeu a existência da escravidão entre os povos.

“A escravidão é quase tão antiga quanto a humanidade”, iniciou, para em seguida retroagir socialmente: “É quase um aspecto da natureza humana”.

Foi o bastante para representantes de movimentos negros e de favelas, que estavam no plenário, se manifestarem com vaias e apupos: “Luta, resistência, sobrevivência”, responderam ao monarquista que quase se declarou escravocrata.