Abalado por escândalo que envolve filho 01, Bolsonaro escolhe ser mártir sem abrir mão do confronto

BR: O presidente Jair Bolsonaro acaba de renovar sua aposta na radicalização. Enfraquecido pelas circunstâncias da política e da economia, porém, ele primeiro precisa juntar alguma força. A que vem dos filhos, em razão do escândalo que envolver Flávio Bolsonaro e já respinga sobre Carlos, está abalada. A dos militares, o próprio presidente tratou de anular a seu favor, ao tomar o partido de Olavo de Carvalho contra os generais Santos Cruz e Villas Bôas. No Congresso, a bateção de cabeça dentro do próprio PSL fala de per si. No ministro Paulo Guedes, este é o pior momento para contar com o prestígio dele, em razão do retrocesso experimentado pela economia.

Onde, então, buscar apoio?

Bolsonaro escolheu procurar seu próprio público. Com a texto ao estilo carta renúncia de Jânio Quadros, colocando-se como mártir do sistema político-institucional, o presidente busca reconquistar sua grande audiência para ser novamente chamado de ‘mito’.

Vai dar certo? As chances, ressalve-se, são pequenas.