Tragédia anunciada se repete: três morrem na Zona Sul do Rio de Janeiro em razão das chuvas

As chuvas intensas que atingiram o estado do Rio de Janeiro, na noite desta segunda-feira, causaram trânsito, alagamentos, queda de árvores e a morte de três pessoas. Um homem na Gávea e duas irmãs no Leme morreram em consequência da tempestade. Hoje o dia começou com mais chuva. Às 5h20, pancadas moderadas atingiam toda a cidade.

O município está em estágio de crise – terceiro nível em uma escala de três para chuva forte a muito forte nas próximas horas – desde as 20h55. A recomendação da prefeitura é para evitar deslocamentos. A rede municipal de ensino e algumas unidades particulares não vão funcionar. A Avenida Niemeyer e o Alto da Boa Vista amanheceram interditados por quedas de barreira. Um homem ainda é considerado desaparecido.

Mais uma vez, a ciclovia Tim Maia desabou na avenida Niemeyer. É a quarta vez que trechos da pista cedem, mesmo assim, o prefeito Marcelo Crivella afirmou que, apesar dos acidentes, a via é “segura”. De acordo com o Alerta Rio, núcleos de chuva forte devem continuar na zona sul, na Grande Tijuca e em pontos da Barra da Tijuca. Houve registro de chuva muito forte em bairros como Barra, Vidigal, Rocinha e Jacarepaguá, na zona oeste. Na zona oeste da cidade novos núcleos de chuva muito forte se formaram sobre a Baía de Sepetiba.

O Túnel Rebouças, principal ligação do centro com a zona sul da cidade, está fechado no sentido Lagoa, devido ao acúmulo de água na Avenida Borges de Medeiros, na saída do túnel. De acordo com o Centro de Operações da prefeitura do Rio, os motoristas que seguem para a zona sul devem optar pelo Aterro do Flamengo ou Túnel Santa Bárbara.

Por medida de segurança, a Avenida Niemeyer está fechada nos dois sentidos entre o Leblon e São Conrado. Os ônibus expressos articulados das linhas Transcarioca e Transolímpica estão trafegando com atraso, devido a água acumulada na ponte estaiada da Barra da Tijuca.