Centenário Bola Preta faz desfile ‘O 1º de mais 100’ e nem tempo ruim ofusca rainha Paola Olliveira: “Dá para curtir no meio da chuva”

BR: Com cem anos completados em 2018 e realizando neste sábado 2, no centro do Rio de Janeiro, o desfile ‘O 1º de mais 100’, o Cordão do Bola Preta enfrentou a chuva fina sem que sua rainha perdesse o brilho. A atriz Paolla Oliveira enfeitou a festa iniciada na avenida Presidente Antonio Carlos com um tomara-que-caia com as cores do bloco tradicionalíssimo.

Esperta, quando questionada como é estar no Carnaval solteira, ela que se separou recentemente, Paolla devolveu com uma resposta de quem tem sangue azul: “É tão animado quanto!”.

Sobre a chuva, mandou bem outra vez:

“Esse é um dos poucos momentos no ano que dá para curtir no meio da chuva, além de aliviar o calorão”, definiu.

Por essas e outras é que é rainha!

Acompanhe notícia do jornal Extra:

Veterano na arte de fazer o folião sair da cama mais cedo no sábado de carnaval, o Cordão da Bola Preta enfrenta nesta manhã de sábado um concorrente: o “cordão da nuvem preta”. No caso, é a chuva, que pode minguar a estimativa de arrastar mais de um milhão e meio de pessoas pela Avenida Presidente Antonio Carlos.

Debaixo de chuva fraca e com o tema “O Primeiro de mais 100”, o bloco iniciou o seu 101º desfile saindo da frente do Terminal Menezes Côrtes, na Praça Quinze, em direção ao Castelo. A atriz Paolla de Oliveira desfila em cima do trio elétrico, como rainha do bloco.

Porta estandarte do bloco, a atriz Leandra Leal não vê problemas em sair com um pouco de água. Aliás, muito pelo contrário.

— Esse é um dos poucos momentos no ano que dá para curtir no meio da chuva, além de aliviar o calorão — brinca a atriz.

Pela primeira vez no bloco, a publicitária Camilla Ullmann, de 26 anos, e a professora de educação física Júlia Almeida, de 28, fizeram sucesso desde cedo com suas fantasias: flor e palhacinha, respectivamente.

— É meio que um sonho para a gente, que é de outra geração do carnaval, estar em um bloco histórico que a gente sempre teve a vontade de vir. Isso define exatamente o que é o carnaval — disse Júlia.

Fazendo muitas selfies e fotos com os passantes, a editora de mídias sociais Lia Palka, de 66 anos, saiu de Copacabana para curtir o bloco que comparece há exatos 15 anos, sem parar. — Hoje eu vou deixar de tocar bateria para estar aqui. É uma paixão antiga. As marchinhas, para mim, é o diferencial do bloco — se anima Lia.