Centrão não se ilude com ministério a mais, fecha com a oposição e quer mesmo tirar Coaf de Maia

BR: O centrão sabe jogar. Na tarde desta terça-feira 7, o bloco partidário informal deixou o governo perdido com sua falta de entusiasmo diante da notícia do desmembramento do Ministério da Integração Regional, pensada pelo governo para ser dada em troca à manutenção do Coaf no Ministério da Justiça, sob a alçada do titular Sergio Moro.

Nos bastidores, líderes dos partidos que formam o centrão avisaram que nunca pleitearam esse desmembramento e, portanto, não consideram que qualquer favor tenha sido feito a eles pelo governo.

Ao mesmo tempo, o centrão fechou um acordo com a oposição para incluir no relatório da reforma administrativa, que está para ser votado em comissão, a volta do Coaf para o Ministério da Economia, deixando a jurisdição de Sergio Moro, no Ministério da Justiça.

Os líderes do centrão se irritaram não apenas como a tentativa de barganha, mas igualmente com a perspectiva de, em caso de desmembramento do Ministério da Integração Regional, o ex-ministro Alexandre Baldy, atual secretário dos Transportes de São Paulo, vir a ser o nome indicado para o Ministério das Cidades. Ele já ocupou esse cargo no governo Michel temer e sua postura não agradou à maioria dos políticos do centrão. Ficou claro que ele é bastante alinhado com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia.

Sem interesse num ministério, o que o centrão quer mesmo é tirar o Coaf de Moro, para dar mais conforto aos parlamentares com dificuldades de provar movimentações financeiras e outros procedimentos.

O governo está caminhando, assim, para mais uma derrota.